Viajando para o Japão – 1º diário de viagem

Passaporte na mão, planejamento e roteiro organizados, malas prontas, ansiedade e frio na barriga gigante, é isso, eu estou viajando para o Japão!

Um sonho se concretizando, eu estava viajando para o Japão.

No entanto, a viagem é longa. Pelo menos 24 horas voando, sendo 9 horas de São Paulo até a conexão em Toronto e de lá, 14 horas até Tóquio em classe econômica. E nem vou citar o tempo de espera no aeroporto de Toronto.

Então, uma dica boa pra quem vai ao Japão ou fazer uma viagem longa assim, é Prepare-se muito!

A única coisa que me desanima por um momento de voltar ao Japão, é a viagem de avião até lá, mas fica por aqui e não desanima, pois vou contar como foi minha viagem e dar algumas dicas.

E então a longa viagem começou…

Minhas amigas e eu, com nossas grandes malas e toda ansiedade do mundo, decolamos às 20h30 do aeroporto de Guarulhos em São Paulo e chegamos às 5h20 da manhã no aeroporto de Toronto.

Para uma viagem longa preparar-se é a palavra de ordem. Sapato, roupa e casaco confortável é o mínimo neste momento.

Eu levei uma calça de moletom na mala de mão e troquei durante o voo para ficar mais confortável (e valeu a pena!).

Outras coisas legais de levar, é almofada de pescoço, seu próprio entretenimento (livros, notebook, jogos, etc), alguns lanchinhos e água, gente, bebam bastante água.

O aeroporto de Toronto, eu achei moderno e grande, nosso visto era somente de trânsito, então não podíamos sair do aeroporto e tínhamos 8 hs de espera pela frente. Encontramos uma área de espera com muitas poltronas, tomadas e wi-fi, logo não tivemos vergonha de nos jogar e dormir por ali mesmo (não eramos as únicas).

Checamos as notícias na internet, vimos que havia um tufão perto de Tóquio e alguns vôos domésticos foram cancelados, porém, o nosso vôo não foi, achamos que não teríamos problemas.

vista-aviao-canada

A viagem teve muitos altos e baixos, literalmente

O voo de Toronto para o Japão, foi marcado pela ansiedade, eternidade e turbulência! Nós embarcamos por volta das 14h30 e foram 14 longas horas de voo, já na minha primeira viagem internacional.

Apesar do cansaço, foi muito bacana ver que estávamos muito ao norte da terra, passando pelo Alasca e Rússia e ver todas aquelas montanhas cobertas de gelo.

Quando ninguém mais aguentava ver filmes, os lanches tinham acabado e o tédio reinava, começamos a voar sobre o Japão! eeeh

E começou também uma turbulência! aaahh

Eu não tenho medo de voar, mas também não sou zen ao ponto de não ter medo quando o avião sacode.

O ápice, foi quando o avião desceu rápido e fez todo mundo soltar um “raaannn”, aquele som de quando desce a montanha russa e vem aquele frio na barriga.

Só que nesse caso você perde o ar e não grita. Sim, quase todos os passageiros fizeram isso.

Passados esses minutos de tensão (que pareceu uma eternidade), pousamos no aeroporto de Narita em Tóquio, já no final da tarde sã e salvas, mas tão pálidas quanto fantasmas, não posso negar isso.

Só depois de alguns momentos conseguimos nos recompor e pensar “Caramba, estamos no Japão!”.

Como sair do aeroporto de Narita para Tóquio (e vice-versa)

O aeroporto de Narita fica na província de Chiba, 60km a leste de Tóquio, pesquisei algumas formas de sair do aeroporto até Tóquio e as principais são:

  • Narita Express (N’EX) – Trem da empresa JR, super moderno que liga o aeroporto de Narita as estações de Tóquio, Shinjuku, Shibuya, Ikkebukuro e Shinagawa. Custa entorno de 1200 yens e é possível usar o Japan rail Pass, se for habilitado já no aeroporto. Leva de 1h a 1h30 até Tóquio. Veja aqui os horários.
  • Skyliner – O Trem da Keisei, vai de Narita a Ueno em 41 minutos e para Nippori em 36, o mais rápido das opções! Estas estações estão na linha JR Yamanote, que dão fácil acesso à diversos lugares de Tóquio e cidades ao redor. Custa 2470 yens e acredito que não aceite o Japan Rail Pass, verifique antes. Veja aqui os horários.
  • Limousine Bus – O mais confortável das opções é este ônibus, ele fica logo na saída do terminal, não é preciso subir escadas ou se deslocar muito. Ele custa 3100 yens passa por várias estações e mais de 50 hotéis. No site, é possível consultar os locais por onde ele passa e os horários.

Viajando para o Japão, chegamos em Tóquio!

Após uma rápida e eficiente passagem pela imigração, com atendentes super simpáticos (até fofos!), já estávamos no saguão esperando as malas com aquele sorriso no rosto e não acreditando que chagamos no Japão.

Deslumbradas? Imagina!

Nossa estadia no Japão estava apenas começando e a próxima etapa era ir do aeroporto para nosso hotel em Shinjuku, um dos famosos bairros de Tóquio.

Bom, apesar da ansiedade para sair explorando a cidade, nós estávamos cansadas e escolhemos a opção mais confortável, que foi o Limousine bus.

Compramos os tickets e logo já avistamos o local de saída dos ônibus, tem um letreiro luminoso mostrando o horário de saída e os locais que ele passará, tudo muito organizado!

Eu tinha impresso o nome e endereço do hotel, então ficou fácil de confirmar se aquele ônibus era o correto.

Levamos 1h30 para chegar ao hotel, tinha trânsito, lentidão e várias paradas pelo caminho, mas sinceramente nós não ligamos muito, foi um pequeno tour para observar a cidade!

Nos hospedamos no Shinjuku Washington Hotel fica muito bem localizado, com preço justo e vários serviços.

O quarto é pequeno, mas aconchegante, na época não tinha wi-fi, só internet a cabo e no primeiro andar tem um Family Mart, uma loja de conveniência que tem um pouco de tudo.

Shinjuku é a representação da Tóquio moderna

Check-in feito, malas acomodadas, só faltava a comida, porém, precisava ser comida pronta né?! E o que logo aparece na nossa frente? McDonald’s, claro!

Pedimos big mac pra não ter erro (mas tinha opção de camarão!), eles tem cardápio em inglês, então é tranquilo.

Aproveitamos o caminho de volta para passear e sentir o clima da cidade. Estávamos perto da estação de Shinjuku (das mais movimentadas do mundo), muitos japoneses saindo do trabalho, apressados.

Muitas luzes, prédios modernos, agitação e nós ali achando tudo um sonho!

Voltamos para o quarto do hotel e posso dizer por todas que estávamos exaustas, querendo banho e cama.

O sono era pesado, mas no fundo uma vontade de explorar tudo imediatamente, dormir ou ficar no quarto parecia perda de tempo, só que, teria que ficar para o outro dia.

vista-noite-shinjuku-hotel

Gostou do post? Então continue acompanhando minha viagem ao Japão, veja o 2º diário de viagem conhecendo Shinjuku!

Outros posts do blog clique aqui!

Compartilhe:

Picture of Erika Silva

Erika Silva

De boa e tranquila por fora, ansiosa e planejadora por dentro. É designer gráfico, na casa dos trinta anos, amante de filmes, séries, desenhos, música, chocolate com coco, livros e sobremesas.

Eu te ajudo a cair na estrada também!

Alguns serviços que eu utilizo e que me ajudam e me fazem economizar nas minhas viagem

Posts relacionados:

Comente o que achou:

2 Comments

  1. CAMILLA GIORDANO PEREIRA KAWAKAMI disse:

    Olá!
    Parabéns pelo blog e riqueza de detalhes sobre sua viagem ao Japão.
    Gostaria de saber a época do ano que você foi.
    Obrigada!!!

    • Erika Silva disse:

      Oi Camilla, bem vinda!
      Obrigada pelo elogio <3

      Eu viajei no começo do mês de abril (do dia 05 a 17 mais ou menos), na primavera! Uma das épocas mais lindas por conta do florescer das cerejeiras!
      Ótima época pra ir, faz um pouco de frio, mas tem dias lindos de sol.
      Obrigada pelo comentário.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *