Como é o Parque das Cataratas do Iguaçu do lado argentino

Santuário Fushimi Inari em Kyoto
Santuário Fushimi Inari em Kyoto – 10º diário de viagem
13/08/2019
capa Cataratas-do-Iguaçu-Como-foi-visitar-essa-maravilha-da-natureza_
Cataratas do Iguaçu: Como foi visitar essa maravilha da natureza
19/06/2020

Como é o Parque das Cataratas do Iguaçu do lado argentino

Como-é-o-Parque-das-Cataratas-do-Iguaçu-do-lado-argentino

As Cataratas do Iguaçu têm um lado argentino e um lado brasileiro, você sabia?

São tão grandes que é possível vê-las dos dois países e apesar da competição em saber qual é o lado mais bonito ou do seu patriotismo, vale muito a pena visitar o lado argentino das cataratas para que você tenha ideia da grandeza de umas das sete maravilhas da natureza.

As cataratas do lado argentino ficam no Parque Nacional Iguazú que tem 67.720 mil hectares de floresta subtropical, na cidade de Puerto Iguazú, pertinho da fronteira com o Brasil.

Desde o início do meu planejamento para visitar as cataratas, sempre inclui o lado argentino, devido aos comentários de que era o lado mais bonito, minha intenção era tirar as minhas próprias conclusões e contar aqui para você.

O que você precisa saber antes de visitar as Cataratas do lado argentino

Documentos necessários

Atualmente para visitar a Argentina, os documentos aceitos para entrada e saída são os originais com menos de 10 anos de expedição de:

Cédula de Identidade Civil (RG)

Passaporte

CNH (Carteira Nacional de Habilitação) – Apenas na cidade de Puerto Iguaçu, graças ao Acordo de Facilitação Turística, a CNH pode ser utilizada tanto por brasileiros quanto por estrangeiros residentes no Brasil (desde que possuam a RNE – carteira de identidade de estrangeiro) para realizar o trânsito fronteiriço, com um limite máximo de 72 horas.

Crianças, mesmo as pequenas, precisam de um documento com foto, RG ou passaporte, não é aceito a certidão de nascimento.

Os menores desacompanhados dos pais devem ter autorização para viagem internacional original com firmas reconhecidas em cartório de ambos os pais ou apenas do que está ausente, com prazo de validade e especificar o destino da viagem.

Preço e como comprar ingressos

Os ingressos são vendidos na bilheteria local do parque ou por este site, mas não quis me arriscar no site, por não achar muito segura a compra.

O ingresso custa $640 pesos (adulto, dez/2019) para cidadãos de países do mercosul, mediante apresentação de RG ou passaporte e $800 pesos para o restante dos estrangeiros. Crianças pagam ingresso a partir dos 6 anos de idade, mas até os 12 anos pagam menos. Pagamento em pesos argentinos ou cartão de crédito internacional.

O parque do lado argentino é bem grande e eles incentivam a visitá-lo em dois dias seguidos para aproveitar tudo. É possível visitar o parque com 50% de desconto no dia seguinte, basta validar o mesmo na saída do 1º dia de visita. Eu havia visto que o 2º dia era de graça, mas lá dizia que estava com 50% off. Verifique no dia da sua visita.

Moeda

A moeda na Argentina é o peso argentino e somente são aceitos pesos argentinos ou cartão de crédito internacional na compra do ingresso, mas no caso do cartão, você terá que pagar mais o IOF (6,38%).

Melhor trocar alguns reais por pesos argentinos no Brasil para pagar os ingressos e comer caro durante o passeio no parque.

Estrutura do parque e Horário de funcionamento

O parque funciona das 8h às 18h, no fuso horário da Argentina (cuidado no horário de verão).

É um passeio que exige tempo para apreciar a beleza do lugar, então procure chegar pela manhã para fazer tudo com calma, apreciar as cataratas, as trilhas e descansar se necessário.

Na entrada, no início dos circuitos e de onde saem os trens, há algumas lanchonetes e banheiros. A estrutura é menor do que no lado brasileiro, mas achei suficiente.

O parque é dividido principalmente, em 3 circuitos: Inferior, Superior e Garganta del diablo.

Somente o circuito inferior não dá acesso total à cadeirantes ou onde você possa

Existe também o passeio pago à parte, chamado Sendero Macuco, onde somos levados em um barco num passeio chegando bem perto das cataratas. No parque do lado argentino, esse passeio é mais barato, porém tem menos estrutura, principalmente no acesso ao barco, pelo que vi lá, mas o bote é seguro e o passeio pela água igual ao Macuco Safari, o passeio do lado brasileiro, eu fiz e vou contar para você também.

Parque das Cataratas do Iguaçu lado argentino: Trem de transporte interno

Depois de entrar no parque, há uma área grande com lojas, museu, informações sobre o parque e até o trabalho artesanal de uma tribo indígena.

Seguindo sempre em frente você terá a estação central, de onde sai o trem de transporte interno do parque, que leva até a estação no centro do parque e também a estação do circuito da Garganta del diablo, a mais famosa (e emocionante) queda d’agua das Cataratas.

Parque das Cataratas do Iguaçu lado argentino: Circuito Inferior

O Circuito Inferior é longo (1.700m de trajeto), mas também o mais bonito, na minha opinião e de muitas outras pessoas. Durante o percurso há vários mirantes e outras cachoeiras menores ou nem tão menores assim.

Não é completamente acessível, há algumas escadas e quem está de cadeira de rodas não consegue ver tudo. Verifique no parque (ou se for com agência) se compensa ir com carrinho de criança, eu vi alguns pais com carrinho, mas a maioria parecia preferir carregar as crianças naqueles “cangurus” que prendem no corpo.

circuito-inferior-cataratas

Essa cachoeira é linda e muito alta, a gente vê ela assim de baixo e no final do circuito vê ela lá de cima.

circuito-inferior-lado brasileiro-lado argentino

Lado brasileiro à esquerda, lado argentino à direita. É tão grande que tem uma ilha no meio

Esse circuito oferece uma visão de baixo das quedas, acho que conseguimos sentir mais a força de cada queda pelo caminho, da grandiosidade.

Se você não tiver tempo para todos os circuitos, dê preferência para este circuito inferior, com certeza vai render imagens lindas e o impacto das quedas é enorme.

circuito-inferio-maior queda

Dá pra ver essa queda dágua assim bem pertinho, o barulho é enorme, muito lindo

Cheguei ao parque perto do meio dia e não parei para pensar muito no que fazer primeiro, nem nenhuma estratégia, meu pensamento foi “Vou começar pelo inferior e ir subindo”, não me arrependo, se você veio aqui por uma indicação, a minha é que você comece por esse circuito inferior.

 

Parque das Cataratas do Iguaçu lado argentino: Circuito Superior

O Circuito Superior das Cataratas do Iguaçu quer dizer exatamente que você terá uma visão de cima para baixo ou na altura das quedas d’água das cataratas.

As passarelas são mais planas e largas, bastante acessíveis. São 650 metros de trajeto para se percorrer, com mirantes pelo caminho também.

Lembrando que sempre há concorrência para tirar fotos e talvez você tenha que esperar alguns minutos a mais para tirar fotos sozinha(o) com as quedas ao fundo, mas não deixe de esperar um pouco para apreciar a visão linda que são essas águas caindo de encontro ao rio.

superior-passarela sobre a queda dagua

As passarelas passam por cima da mata ou por cima das águas

superior-muitas quedas dagua

Olha a grandeza dessas Cataratas!

 

Parque das Cataratas do Iguaçu lado argentino: Circuito Garganta del diablo

Para fazer o Circuito da Garganta del Diablo você deve ir para o “Centro do Parque” de onde você tem o início dos outros circuitos e pegar o trem que leva até a estação de mesmo nome.

Esse trem tem horários, que você pode verificar lá e se tiver muita gente eles dão uma senha, mas acaba que vai ter fila do mesmo jeito.

Essa trilha é a mais longa com 2km ida e volta, sem contar o trecho de trem, então vá preparado para andar bastante!

A trilha começa pela mata, mas grande parte dela é feita sobre o rio Paraná, é muito legal, mas ao mesmo tempo dá um medinho, fiquei imaginando se o estado de conservação daquelas passarelas era realmente bom como parecia haha

garganta-em cima do rio paraná

As passarelas vão por cima do rio Paraná, ali na frente é uma ilha no meio, depois tem mais rio tão largo quanto

Quando finalmente você chegar ao final das passarelas, na verdade antes de chegar ao final, você já irá começar a sentir o impacto. É SENSACIONAL! (Tem que ser em caixa alta mesmo).

A trilha leva até o topo do maior conjunto de quedas, o impacto é grande, a pessoa precisa ser muito insensível para não sentir o quão grande é aquilo. É muito lindo, é hipnotizante ver aquilo tudo.

garganta-chegando na atração principal

Antes mesmo dessa distância, já se houve alto o barulho das águas

Não quero me estender muito aqui, porque pretendo escrever um diário de viagem desse dia, mas ali chama Garganta do Diabo, mas é Deus que você sente ali, é impressionante e de novo, SENSACIONAL!

garganta-del diablo panorama

Parte da Garganta del diablo

garganta del diablo sensacional

É lindo demais!

Depois de ver tudo aquilo que é a Garganta del diablo, você retorna todo o caminho para pegar o trem de volta, na estação há lanchonetes, banheiros e alguma estrutura de informações.

Não deixe de visitar o lado argentino das Cataratas, você vai ter uma visão completa dessa maravilha da natureza.

Gostou do post? Acompanhe mais da viagem de Foz do Iguaçu e de outras viagens aqui no blog e nas redes sociais!


Planeje suas viagens aqui

Planeje sua viagem com os meus parceiros e ajude a rentabilizar o blog.
Isso ajuda a continuar a atualizar o conteúdo e você não paga nada a mais por isso.
Na verdade, você ganha descontos! ❤



Erika Silva
Erika Silva
Querendo conhecer o mundo com apenas 30 dias de férias por ano e sem emendar feriados. Amante de viagens, filmes, séries, ilustração, rock 'n roll, livros, chocolate com coco e outras sobremesas.

1 Comentário

  1. […] Você também pode fazer a visita pelo lado argentino, eu fui e contei tudo nesse post aqui. […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *