Em tempos sem viagens…

como-funciona-hospedagem-Airbnb
O que é e como funciona a hospedagem no Airbnb? É seguro?
19/09/2020
shibuya - 4-coisas-que-amo-fazer-nas-minhas-viagens
4 coisas que amo fazer nas minhas viagens
26/04/2021

Em tempos sem viagens…

em-tempos-sem-viagens---se-vira-no-mundo

Não queria demorar tanto assim pra voltar, mas em tempos sem viagens… demorei.

Olá, ainda tem alguém por aqui?

Abril. Estamos em abril de 2021 e a última vez que apareci por aqui foi em setembro de 2020. Mas, na verdade, parece que foi há muito mais tempo. Apesar de gostar muito desse canto e de querer escrever sobre muita coisa, parecia que não fazia mais sentido. Foi difícil ter que admitir isso pra mim, me cobrava quase todos os dias e não sabia o que fazer.

Com o país metade tentando sobreviver e a outra metade nem aí para a pandemia, comecei a pensar muito sobre meu comportamento online, sobre o que eu consumo e sobre mim, meus planos… e travei. Qual a minha relevância, o que ainda quero fazer, chegarei aos 40 anos sem ter realizado meus sonhos de viagem pelo mundo? Qual o meu propósito? E sei lá mais o quê.

O brasileiro não tem um minuto de paz, somos bombardeados diariamente com centenas de notícias, sou uma pessoa bem humorada, até que resiliente, mas fiquei agoniada. Não conseguia por muita coisa em prática, só sabia do que não queria. Não é saudável passar um monte de informações sem relevância ou consumir também e não queria contribuir para isso.

Eu amo escrever sobre viagens, experiências, quero aprender a escrever melhor o que sinto e o que eu vejo, mas em tempos sem viagens, como fazer isso? O instagram pegou quase todo o engajamento, tornou-se quase um vício, mas também o ganha pão de muita gente. E justamente eu, fiquei viciada e cansada ao mesmo tempo.

Consumo, mas não consigo produzir, muitas vezes parece uma grande arrogância das pessoas compartilharem suas viagens, seus privilégios. Será que era essa imagem que eu passava também, mesmo que inconscientemente? Será que é um conteúdo fútil? Pensei várias vezes comigo mesma. Eu nunca quis despertar ansiedade em alguém por não poder viajar ou fazer qualquer coisa que seja, mesmo que eu compartilhe minhas experiências nas melhores das intenções. E ainda tem a parte onde me comparava com outros e acreditava não ter conteúdo relevante ou “instagramável” para compartilhar… ainda hoje tenho recaídas.

Vinícola em Mendoza no inverno

Vinícola em Mendoza no inverno

Fiquei desanimada e estava passando por diversas mudanças na forma de pensar e agir. Obviamente existem exceções em ambos os lados desse mundo virtual. Nos últimos meses, me vi me encontrando nas mudanças, mas por outro lado sem motivação e resolvi não me cobrar tanto, diminuir o ritmo. 

No meio desses questionamentos sobre querer estar ativa ou não na internet, a vida fora dela também estava aquela pandemia. Sonhos e planos adiados, um soco no estômago, um balde de água fria, perdas irreparáveis. É surreal tudo o que está acontecendo, difícil processar e manter a sanidade mental no meio disso tudo.

É um constante esforço pra se manter bem em meio ao caos. O que tento fazer com frequência é ter gratidão pelas pequenas coisas (Tipo Poliana menina mesmo), paciência e assim seguir com os planos mesmo que distantes, vivendo um dia de cada vez.

Vendo montanhas de neve pele primeira vez em Mendoza na Argentina

Vendo montanhas de neve pele primeira vez em Mendoza na Argentina

Em tempos sem viagens, tenho buscado me conhecer e repensar coisas que sempre adiei. Seja por falta de organização, dinheiro ou de achar que não era boa o bastante. Quem sabe falo mais disso por aqui em outra hora, quero trazer outros tipos de texto para o blog e resgatar o jeito de blogar de antes (quem sabe alguém se interessa!). 

Para mim tem sido difícil criar uma rotina pra estudar e fazer um trabalho extra, definitivamente não funciona todo dia. Ao mesmo tempo que me incentivo, também me (des)respeito. Não estar onde eu queria estar faz tudo ficar mais difícil. Nessa hora é que me agarro na gratidão das pequenas coisas.

em-tempos-sem-viagens---se-vira-no-mundo

Selfie desfocada que eu amo, tirada em Mendoza para me lembrar que o mundo tem muita coisa boa para se ver ainda!

Em tempos sem viagens, fiz este post para marcar o momento, uma (auto)justificativa do porquê eu parei de postar, um registro sobre o momento de pandemia mundial e adiamento dos planos e das viagens.

Então vamos seguindo. Acreditar que vou conseguir escrever com mais frequência, acreditar em tempos melhores, firme igual gelatina, mas sem derreter jamais.

Espero que na medida do possível vocês também fiquem bem ♥

Veja outros posts aqui no Se vira! E me siga lá no instagram 🙂

 



 

Erika Silva
Erika Silva
Querendo conhecer o mundo com apenas 30 dias de férias por ano e sem emendar feriados. Amante de viagens, filmes, séries, ilustração, rock 'n roll, livros, chocolate com coco e outras sobremesas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *