4 coisas que amo fazer nas minhas viagens

em-tempos-sem-viagens---se-vira-no-mundo
Em tempos sem viagens…
19/04/2021

4 coisas que amo fazer nas minhas viagens

shibuya - 4-coisas-que-amo-fazer-nas-minhas-viagens

Tem muitas coisas que amo fazer nas minhas viagens e nos últimos meses eu venho repensando, entre outras coisas, a forma como costumo viajar, quais coisas eu me lembro com carinho, diversão, o que fizeram delas inesquecíveis ou o que me fizeram descobrir e/ou aprender mais.

Pensando nas minhas viagens eu fui percebendo que sempre tem certas coisas que estou procurando fazer, que é quase “tradição” de viagem pra mim. Não que eu sempre tenha feito essas coisas, mas fui acrescentando nas viagens e em cada uma procuro fazer pelo menos uma dessas cinco coisas.

Tem uma delas nessa lista que às vezes eu não faço por querer, simplesmente acontece (haha), só que eu perdi o medo quando acontece. São coisas que eu acredito que acrescentam na experiência de viajar, tornam as minhas viagens inesquecíveis e mais especiais por isso.

Cada pessoa é diferente, tem seus gostos, personalidade e isso reflete na hora de viajar também, cada um tem um estilo de viagem diferente e o que gosta de aproveitar mais enquanto está explorando um lugar novo, mas quem sabe alguma coisa que eu amo fazer nas minhas viagens desperte em você algo novo pra experimentar na sua próxima viagem.

1. Conhecer locais ou pessoas novas

Uma das poucas coisas que eu me arrependo da minha viagem ao Japão, é não ter conseguido fazer amizade com japoneses locais. A língua com certeza foi uma barreira, conheci a Alice e o Leonardo, brasileiros amigos da Nádia, minha amiga, mas a gente acabou não “saindo da nossa zona de conforto” e interagindo menos do que gostaríamos.

Com exceção do Uruguai que também fui com as amigas e acabei não conhecendo locais, passei a sempre buscar conhecer pessoas novas e locais nas minhas viagens, me comunicando nem que seja, metade em inglês metade em mímica. Além de dar um gostinho mais especial pra viagem, eles sempre tem as melhores dicas sobre os lugares!

Se tiver a oportunidade de conviver um pouco, melhor ainda, explorar e sentir aquele destino visitado pelos olhos da pessoa que mora no local. Eu aprendi que viajar não se limita à apenas visitar os lugares, mas sim conhecer um pouco mais sobre o povo daquele país, cidade ou região.

É uma oportunidade única pra termos aquela sensação de como é viver em determinado lugar, mais do que apenas passar pelo local como um turista, eu gosto de voltar pra casa não só com a câmera cheia de fotos, mas também com histórias de pessoas desse mundão dentro de mim.

Além das pessoas locais, eu procuro conhecer outros viajantes também, nada mais prazeroso do que poder fazer amigos de diferentes partes do mundo ou brasileiros que tenham a mesma vontade de trocar ideias e experiências, nem que seja em um dia de tour! Conhecer pessoas novas e suas histórias, apesar da minha timidez, é o que eu mais amo fazer nas minhas viagens.

Quando a gente conhece mais do outro e seus costumes, parece que conhecemos mais sobre o mundo, afinal o mundo como o conhecemos é feito por e para pessoas.

Erika e artista Marino Santa Maria

Em Buenos Aires conheci o atelier do artista Marino Santa Maria

2. Eu amo ver a vista dos lugares do alto

Eu não tenho condicionamento físico pra fazer trilha, confesso, mas uma das primeiras coisas que eu amo fazer nas minhas viagens é procurar nas cidades um mirante, parque com vista ou excursão para lugares altos e montanhas!

É uma delícia chegar no topo e admirar a vista, não importa se é no topo de uma montanha ou de uma cidade grande, minha mente fica em êxtase e em paz ao mesmo tempo. Poderia ficar horas admirando a vista dos lugares.

Eu não tinha me dado conta desse amor, até ver na internet que muita gente não gosta de São Paulo por só ter prédios para ver ou montanhas por só ter, pasmem, montanhas para ver. E eu na minha cabeça, “como assim? É tão legal ver aquele mar de prédios do alto ou aquele céu azul do alto”. Aí eu percebi que nem todo mundo curte isso, enquanto eu faço questão de procurar esses lugares.

Inclusive, eu não considero que conheci Nova Friburgo na região serrana do Rio, por que não tive coragem de subir no teleférico da praça do suspiro haha (rindo de vergonha). Morro de medo de teleféricos, mas uma hora vou ter coragem de ir ou de procurar um caminho para subir de uber 😀

É demais ver como é determinado lugar de uma outra perspectiva. E vamos todos concordar que a paisagens do alto são sempre muito recompensadoras, não decepcionam e qualquer lugar fica muito mais bonito visto de cima.

vista para raibow bridge em Tóquio

Vista para raibow bridge em Tóquio, do alto de um shopping em Odaiba

3 – Hospedagem em Hostel

Depois que eu comecei a planejar minhas próprias viagens e principalmente quando eu comecei a viajar sozinha, conheci o maravilhoso mundo dos hostels! Quando eu viajei sozinha para Argentina e Chile em 2018, foi quando eu realmente percebi o quão bom é ficar em hostels e adicionei esse item nas coisas que eu amo fazer nas minhas viagens.

Tem gente que torce o nariz e diz que não gosta, que é coisa de jovem ou viajante na pindaíba (não tem essa de idade pra hostel e sim mais do seu estilo de viagem), mas eu gosto muito, por justamente poder conhecer mais pessoas (item 1). E também, por poder economizar mais!

O custo benefício do hostel é ótimo, você pode cozinhar sua comida, fazer seus lanches e se tiver café da manhã incluso, além de isso já ser vantagem, é um ótimo momento para conhecer outras pessoas, trocar ideias sobre os lugares e já marcar de visitarem juntos diversos lugares, se você não quiser ficar sozinha(o) ou precisa de mais gente pra fechar um tour mais barato!

Se o meu objetivo de viagem não é descansar, não faz sentido para mim pagar mais caro por um quarto de hotel, sendo que eu vou lá só para dormir. Eu prefiro gastar o dinheiro com passeios ou outras experiências durante a viagem.

No hostel ainda tem a vantagem das interações e festas, em Buenos Aires no sábado à noite, tinha música e comida típica da capital, foi uma delícia participar! Se tiver bar no hostel então, você ainda tem a vantagem de não gastar com balada toda noite, fica a dica.

Muita gente tinha o pensamento de hostel/albergue ser um lugar sujo, meio filme de terror ou que é sempre um incomodo compartilhar quarto com estranhos, mas hoje em dia tem muitas opções diferentes, quartos individuais, diversas opções de acomodação.

Quando eu fui para a Argentina, fiquei hospedada em hostel e em Mendoza fiquei em hotel depois, a diferença foi enorme. Conheci bem menos pessoas em Mendoza, já que em hotel as pessoas parecem mais fechadas, menos dispostas a conversar com outros viajantes. Pelo menos essa foi minha visão.

Eu ainda quero ter a experiência de couchsurfing, que é se hospedar na casa de um local, seja no sofá mesmo ou num quarto, a economia é maior e a interação com os locais é ainda maior. Com certeza, se tratando de hospedagem, nas minhas viagens vou sempre pro lado do hostel, é muito bom ♥

Outro tipo de hospedagem que eu já tive, foram no Airbnb aqui no Brasil, inclusive eu escrevi um post aqui no blog sobre a minha experiência, dá uma olhada! A interação com os locais é menor que no hostel, mas dependendo do anfitrião, pode ser uma experiência muito boa!

visão da sacada do gilper hostel

Vista do meu quarto no hostel em Buenos Aires, digna de um cenário de filme de suspense ou de Gothan City haha

 

4 –  Andar sem rumo e fora da rota comum

Eu sempre gosto de turistar e conhecer os principais pontos turísticos de um lugar, eu faço isso sempre, só que eu também adoro simplesmente andar sem rumo, conhecer bairros aleatórios, sair daquela coisa “tem que…”, tem que ver tal lugar, tem que ir em tal restaurante.

Sair da rota turística e andar sem rumo é bem libertador! Te faz ver a cidade com outros olhos, conhecer locais e até a ver outra realidade do lugar, ter a experiência de sentir o lugar de uma forma mais local.

O que já aconteceu comigo, algumas vezes foi também de eu me perder (haha) pelo lugar, mas quando você está aberto a ver lugares fora do comum, isso não vai assustar tanto. É uma oportunidade de descobrir coisas novas.

trem turistico para kawaguchiko

Uma graça o trem turístico para kawaguchiko. E na foto da direita em baixo, a guia que indicava várias poses pra tirar nossas fotos haha

Pose das amigas no trem turistico para kawaguchiko

A guia nos deu o quadro do trem e tirou nossa foto! Super prestativa!

 

É divertido sair da rota comum ou se perder haha e descobrir tesouros escondidos ou ótimos restaurantes no lugar que você visita. No Japão, minhas amigas e eu nos perdemos ao procurar a estação para ir ao Chureito pagoda e ver o Monte Fuji, nós passamos da estação e fomos parar, sei lá onde (haha), mas vimos paisagens lindas no trem e descobrimos que tinha uma trem turístico, muito fofo, para Kawaguchiko, onde deixamos as malas.

Não vimos o Chureito pagoda, mas conhecemos outra parte do Japão que nem sabíamos e a guia do trem tirou ótimas fotos nossa juntas! ♥

Outra coisa que eu amo fazer nas minhas viagens é ir para o interior do país ou região, tentar não ficar só explorando a capital. Muitas vezes a capital de um país não carrega toda a essência ou mostra como são a maioria das pessoas, se tenho tempo, eu quero ir pro interior e ver outras coisas de uma perspectiva diferente.

Sempre que eu viajo, se é pra uma capital, tento ver como posso fazer outros passeios também pra ir explorar essa rota não tão comum, nem que seja algo ali pertinho mesmo. Garanto pra vocês, vale muito a pena! ♥

E vocês, já fazem alguma dessas coisas que eu amo fazer nas minhas viagens? Amam fazer alguma diferente das coisas que mencionei em suas viagens? Comenta aqui embaixo que eu quero saber!

Erika Silva
Erika Silva
Querendo conhecer o mundo com apenas 30 dias de férias por ano e sem emendar feriados. Amante de viagens, filmes, séries, ilustração, rock 'n roll, livros, chocolate com coco e outras sobremesas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *