Shinjuku, Harajuku, Shibuya e Akihabara – 3º diário de viagem

shinjuku park
Shinjuku – 2º diário de viagem pelo Japão
07/04/2016
Tokyo Tower, Odaiba, Ginza, Ueno e Ikebukuro
Tokyo Tower, Odaiba, Ginza, Ueno e Ikebukuro – 4º diário de viagem
10/04/2016

Cheio de surpresas, organização e sutilezas o Japão e a forma de viver dos japoneses é bem diferente da nossa ocidental. Em apenas 3 dias já fiquei apaixonada e querendo morar lá.

Tudo parece funcionar perfeitamente, Tóquio deve ser a cidade mais limpa do mundo, mesmo tendo uma das maiores populações do planeta, todo mundo parece fazer o que deve ser feito. Claro, eu sei, nada é perfeito, mas observar e conviver um pouco, mesmo que como turista com essa cultura tão rica, é uma grande experiência.

No 3º diário de viagem pelo Japão, nós visitamos vários pontos da cidade e nada como uma viagem para nos dar disposição e acordar cedo não é mesmo?! Acordamos por volta das 06h30 (3 mulheres e 1 banheiro pra se arrumar) e estava muito ansiosa para conhecer mais de Tóquio e encontrarmos dois amigos, o Leonardo e a Alice (Jidenshaotoko), que moram no Japão há algum tempo.

Olhando pela janela do quarto, já dava para ver que estava muito frio (uns 11 ou 12 graus), mas com um sol muito lindo (uma das coisas que gostei no clima do Japão)! Nos agasalhos bem, pois o roteiro do dia seria longo e só voltaríamos à noite. Ao contrário das minhas amigas, eu não gosto muito de frio, então caprichei nas blusas e calças por baixo e me senti com 5 quilos a mais!

Nosso encontro com eles, foi em frente ao nosso hotel e a Alice, gentilmente, programou nosso roteiro:

  • Passeio no Shinjuku Gyoen Park
  • Harajuku
  • Shibuya
  • Akihabara

 Shinjuku Gyoen Park

O dia começou com um passeio no Shinjuku Gyoen Park, que fica próximo à estação de Shinjuku, do lado norte. Está entre os maiores e mais famosos parques de Tóquio e agora na primavera, é um excelente lugar para apreciar as flores de cerejeira (Sakura), há mais de 12 tipos diferentes de cerejeiras no parque e ainda há uma estufa com flores de outros lugares do mundo.

No outono o parque também tem uma paisagem muito bonita, com a troca de folhas das árvores. O parque é dividido como Jardim Japonês, Jardim Francês e Jardim Inglês, além de lugares para comer e centro de informações.

O parque abre às 9h, a entrada custa 200 yen, haviam guardas revistando bolsas e mochilas, mas não sei se isso acontece sempre, era sábado e época do hanami tinha mais gente do que o habitual.

Shinjuku Gyoen Park é um parque imenso e muito lindo, tem paisagens de papel de parede do Windows, só que melhor! (hahahaha). O parque já estava cheio e muitas outras pessoas chegando. Nesses lugares sempre tenho vontade de sair pulando e correndo, como se não houvesse amanhã e nem volta pra casa.

Não dá vontade de sair pulando nessa paisagem!

Olha que wallpaper pro seu desktop

É curioso ver, mais uma vez, o contraste da natureza, beleza e calma do parque e ao redor os prédios modernos. Conversamos bastante com a Alice e o Leonardo, sobre como é morar no Japão, é bem diferente estar lá e ver como é a cultura deles, como é o dia a dia, seus prós e contras, que para mim tem muito mais prós!

Contraste entre o urbano e a natureza

Leo, Erika, Alice, Nadia no Gyoen park

Será que eu estou com cara de feliz?

Uma Sakura mais linda que a outra

Uma das mais admiradas

Em algum momento do nosso passeio, reparei em um prédio de tijolos vermelhos, muito charmoso, bem na avenida do parque, várias vezes me pegava olhando pra ele, então vem a Nádia me mostrar o mesmo prédio, dizendo que achou ele lindo e queria morar ali, achei isso uma grande sincronia, então na mesma hora já nomeamos esse prédio nossa morada no Japão (algum dia quem sabe…).

Depois de um bom tempo passeando, fomos almoçar no Jonathan’s, um restaurante entre a estação e o parque. E não, não comemos sushi nem sashimi, tem restaurante de todo tipo em Tóquio, eu pedi hambúrguer, com salada, batata-frita e arroz, tinha outros tipos de carne e acompanhamentos, bem parecidos com os daqui. Nesse restaurante podíamos repetir o refrigerante se quiséssemos, o nosso amigo indicou uma bebida diferente, rosada, mas não dá pra explicar o gosto, pois não tem nada parecido no Brasil.

Em seguida, fomos para a estação de Shinjuku e seguimos para Harajuku.

Shinjuku e Harajuku station, são duas estações que fazem parte da linha de metrô Yamanote da JR, umas das principais e mais usadas de Tóquio, várias atrações turísticas de Tóquio estão perto dessa linha, se comprar JR Pass (Japan rail pass), pode usar as linhas da JR, quantas vezes precisar sem pagar mais nada, durante o tempo do passe.

Mapa da linha Yamanote de Tóquio

 

Harajuku

Uma ótima ideia para o fim de semana em Tóquio é passear pelas ruas de Harajuku e ver as lojas, observar os estilos excêntricos que desfilam por lá, aproveitando pra fazer umas compras.

Harajuku é o lugar de moda e cultura jovem (para muitos é estranha haha) de Tóquio, todos aqueles japoneses que se produzem, com maquiagem e roupas excêntricas, devem com certeza passar por aqui!

Saindo da estação, parecia que estávamos na 25 de março japonesa, igualmente cheia! A principal rua chama-se Takeshita Dori, tem lojas de roupas de todo tipo, acessórios, artigos de colecionares, a maioria com produtos excêntricos, estilo Lolita ou Gothic lolita e tem loja de 100 ienes (tipo R$ 1,99) que realmente custam 100 ienes. São 3 ou 4 andares, com coisas pra casa, cozinha, brinquedos, roupas, tranqueiras, maquiagem, de tudo.

Takeshita dori principal rua de Harajuku

Loja excêntrica?

Só uma frente de avião na decoração da loja

Rua de Harajuku

Rua de Harajuku

Eu realmente achei que tinha muita gente em Harajuku, mas na próxima parada Shibuya, tinha ainda mais.

Shibuya

Em pleno sábado à tarde, Shibuya estava fervendo, até pra entrar e sair da estação tinha fila. Fiquei imaginando como é o movimento à noite! O bairro parece uma mistura de Shinjuku e Harajuku, parece ser a “Meca” dos descolados, reunindo o melhor do entretenimento para a juventude da cidade.

Saindo da estação de Shibuya, o que todo mundo quer ver quando chega, é quando o sinal de pedestres abre e um mar de gente começa a atravessar, tem a faixa de pedestres mais movimentada do mundo. Interessante que ninguém esbarra, nem empurra, tudo de forma civilizada.

E é em Shibuya que fica a estátua do famoso Hachiko, o cachorro mais famoso do Japão, ponto de encontro favorito, que exibe o cão que esperou pelo dono na estação, todas as noites, por quase uma década depois da morte dele (do filme Sempre ao seu lado com o Richard Gere).

Shibuya

Tentativa de panorâmica de Shibuya

Shibuya

Famoso cruzamento de Shibuya

Olha a estátua do Hachiko

Dá uma olhada em uma das saídas da estação de Shibuya

Parada para descansar e tomar um lanche, com direito a suco de laranja vermelha, numa lanchonete charmosa e depois nossos amigos nos mostraram uma loja chamada Book Off. É uma loja onde vendem CDs, DVDs, livros e mangás usados com um preço bem legal, tem em vários lugares.

São itens usados, mas em ótimo estado, a maioria parece novo. Ficamos caçando várias coisas, rodando pela loja e querendo comprar tudo, muita coisa que é difícil achar no Brasil.

Akihabara

Dá uma emoção, uma alegria de escrever e é difícil descrever…

Akihabara é cheia de edifícios de letreiros luminosos, com galerias especializadas em eletrônicos, computadores, mangás, animes e figure actions. São lojas e mais lojas, mas é MÁGICO e me senti muito a vontade, poderia passar o dia todo e ainda sim teria mais coisas pra ver, comprar, olhar. Aqui tem os maiores lançamentos do mundo e linha de produtos lançados há 50 anos atrás.

Há telões e outdoors enormes com propagandas de animes e tudo o mais, luz e cor pra todo lado. Tanta coisa pra ver, uma agitação imperdível! Muitas lojas são estruturadas em edifícios, ou seja você vai achar um edifício inteiro só de animes e mangás ou games.

Chegando no paraíso

A gente nem sabe pra onde olhar ou entrar primeiro

Mais um pouco das ruas de Akihabara

Fomos à famosa loja de eletrônicos, Yodobashi. São oito andares de produtos eletrônicos, para nerd nenhum botar defeito! Os preços são bons, não tão baratos como nos EUA (época de dólar baixo), mas bem mais baratos do que aqui no Brasil. Se eu pudesse comprava muito, vale a pena.

Babei muito nos produtos da Apple, nas câmeras da Nikon, tem um andar só com figure actions e jogos, muito legal! Na verdade tem um andar pra cada área e o último tem restaurantes.

Pensa num lugar que adulta vira criança

Infelizmente, o dia estava acabando e estávamos exaustos, depois de comer e ver qual seria a melhor forma de voltar para Shinjuku, nos despedimos e agradecemos ao Leonardo e a Alice, que nos mostraram lugares incríveis!!

Dica importante: Para passear o dia todo, use somente sapatos muito confortáveis, tênis para caminhada, o que há de melhor! Chegamos ao hotel acabadas, com os pés, as pernas, as costas detonadas haha (Só rindo agora). Um banho, roupa confortável e ficar descalça foi tudo na minha vida!

Nádia e eu, guerreiras, ainda planejamos o roteiro do dia de seguinte, pois ainda tinha muita coisa pra ver e pouco tempo em Tóquio.

Veja também nosso 2º diário de viagem pelo Japão e acompanhem mais nossa jornada por esse país incrível!

 

Erika Silva
Erika Silva
Metida a viajante, de boa e tranquila por fora, ansiosa e planejadora por dentro. É designer gráfico, na casa dos trinta anos, amante de filmes, séries, desenhos, música, chocolate com coco, livros e sobremesas.

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: