De volta à Tóquio – 14º Diário de viagem pelo Japão

Já ouviu falar do Google Trips?
25/09/2016
10 destinos diferentes que cabem no seu bolso para viajar em 2017
02/11/2016
De-volta-à Tóquio

Depois de uma semana visitando outras cidades do Japão, é hora de partir de volta à Tóquio. No 14º diário de viagem temos várias horas de viagem pela frente de shinkansen (trem bala), um evento de anime, momento “perdidas na estação” de novo e novo hotel em Narita.

Arrumamos nossas coisas, demos um tapa no apê (não incluía serviço de quarto) e pouco antes das 10 horas da manhã fizemos o check-out.

Não tinha serviço de táxi no hotel, mas conseguimos um rapidinho na rua, pagamos um pouco mais de 1200 yen no taxi até Shin-Osaka station.

De Osaka para a estação de Tóquio de shinkansen dura em torno de 3 horas, parando em algumas estações.

Vamos ficar hospedadas, não em Tóquio, mas na cidade de Narita, perto do aeroporto, não longe da capital.

Finalmente lembrei de tirar foto de dentro do shinkansen e dele chegando na plataforma!

Shinkansen chegando na plataforma

Confortável não?!

De volta à Tóquio

Bom, como no início da viagem ficamos hospedadas em Shinjuku, não passamos nem conhecemos a estação de Tóquio, que aliás é tão grande e cheia quanto a de Shinjuku.

Região da estação de Tóquio | Fonte: Japanguide.com

Nosso plano era ir para o hotel em Narita, deixar nossas malas lá e ir para o bairro Roppongi, onde estava acontecendo o evento de aniversário do anime e manga One Piece, compramos os ingressos em Shinjuku no começo da viagem.

No entanto, percebemos que não daria tempo de ir para o hotel. Depois de pensar um pouco (e nos perdemos também) encontramos armários para guardar as malas na estação.

Eles são ótimos e tem vários tamanhos, decidimos guardá-las e voltar para pegar depois do evento.

Custou um pouco mais porque eram malas grandes (e mais umas bolsas), porém foi bem mais prático.

Roppongi

Partimos para o bairro de Roppongi, saindo da estação de Tóquio, passando pela estação Yurakucho/Hibiya e depois estação Roppongi, cerca de 10 minutos por 290 yen.

Roppongi é como uma cidade dentro da cidade, é super moderno, com edifícios de escritórios, lojas, restaurantes, TV Asahi, museu de arte, vida noturna agitada e os complexos Roppongi Hills e Tokyo Midtown.

O complexo Roppongi Hills, onde estava acontecendo o evento de One Piece, tem museu, shopping, escritórios, restaurantes, lojas, centro de convenções e outras coisas mais.

O prédio mais alto do complexo, o Mori Tower, tem 53 andares (!) e é para lá que nós vamos!

Vista para Roppongi

Mapa da região de Roppongi | Fonte: Japanguide.com

Uma coisa engraçada é que não dava para ter certeza onde e como era o evento. Nós estávamos meio “às cegas”, pois não achamos todas as informações em inglês.

Quando entramos foi tudo muito organizado e ao entrar no elevador, ele começa a subir e subir. Os números não paravam de subir!

Já estávamos no 43º andar e subindo, esse evento parecia ser no céu! Era no último andar! Imaginem a vista!

P.S.: Vou contar um pouco como foi o evento, se você não gosta de mangás e animes, tudo bem, pode pular para a parte “Em busca do hotel em Narita”.

Evento de One Piece

Estávamos bem ansiosas para saber como era um evento de anime/manga no Japão, grandes expectativas. E não nos decepcionamos!

O evento foi o MÁXIMO!

(Infelizmente não podia fotografar, mas encontrei fotos do evento depois da viagem).

Entrada do Mori arte, o céu é o limite haha

Lógico que para quem gosta “dessas coisas de otaku”, o Japão é “O” lugar, em todos os lugares tem alguma coisa de animes e mangas e claro nós queríamos ir a algum evento relacionado… e fomos no melhor evento naquele período.

Confesso não era fã de One Piece, conhecia, mas não acompanhava, queria mesmo era ver como era um evento no Japão e compará-los com os do Brasil haha

Os ingressos comprados tinham horários e as pessoas iam entrando em grupos, as salas decoradas com temática do anime, assistimos um vídeo. E gente um vídeo ESPETACULAR!

É uma animação meio que em 3D só que não precisamos de óculos, uma interação que não dá para explicar!

Várias coisas sobre o anime, introdução para a próxima temporada especial, com uma animação linda, muito bem-feita e no final eu até me emocionei mesmo sem ter entendido as falas.

Aliás vários marmanjos também se emocionaram no nosso grupo!

A exposição continua por salas e corredores com imagens, cartazes, esculturas e tudo mais sobre o anime, tudo muito bem feito!

Na última parte, um salão com vários quadros com ilustrações lindas do anime, com temáticas e técnicas de ilustração diferentes, uma escultura enorme do grupo do Ruffy.

No meio do salão havia uma réplica da mesa do desenhista Eiichiro Oda (mangaká), que faz o One Piece e ao fundo um telão mostrando uma ilustração desde o rascunho até a finalização do mangá que estava lá exposto.

*As fotos abaixo foram retiradas do site Comic Natalie.

Paredes do evento na entrada

Ilustrações na sala da animação

Essa parte tinha interação e algumas bolhas podiam ser estouradas

Vários cantos destinados á diferentes personagens

Salas muito bem feitas

Melhor escultura!!

Representação da mesa do mangaká!

Bom, nós ficamos encantadas com o evento, não queríamos ir embora!

E na saída ainda tinha um monte de coisas para comprar do anime, quebra-cabeças, cartazes, brinquedos, figure action exclusivos e muita mais.

Saímos de lá muito felizes e tagarelando sobre o evento, a Nádia ainda conseguiu filmar um comercial que estava passando nas TV pelo prédio, queríamos muito guardar aquele vídeo de recordação.

Cartaz do evento de One Piece

Eu e o cartaz de One Piece

 

Ah e comparando com os eventos do Brasil… os daqui não chegam nem aos pés, claro que no Japão existe muito mais investimento, mas lá é realmente um evento organizado.

Agora já anoitecendo, precisávamos ir para o hotel em Narita.

Em busca do hotel em Narita

Voltamos para a Tokyo station, pegamos nossas malas e fomos atrás de onde pegar o trem para o aeroporto e de lá um ônibus para o hotel…

… quem disse que a gente achava onde era e qual o trem para o aeroporto!

Não sei o que houve, tínhamos as informações, mas não achamos os trens no painel, nem próximos horários. Estava muito cheio, pedimos informações, mas não entendemos direito, estava difícil!

Chegou uma hora que não aparecia mais o nome de Narita airport, nem se ia ter trem ainda, ficamos meio que desesperadas. Então tentamos ir para a estação de JR Narita, mas não tinha trem direto.

Estava difícil saber qual estação descer, eis que surge (do nada) um japonês salvador que falava inglês muito bem e nos indicou a estação! Tínhamos que descer em Funabashi e depois pegar um trem para a JR Narita. E enfim foi o que fizemos.

Pegamos um trem muito cheio, com malas enormes, ficamos apreensivas com o horário, estava com fome, mas coisas engraçadas e ataques de risos aconteceram haha.

Um japonês, literalmente dormindo em pé, cochilou e bateu a testa no vidro da porta! Acordou já pedindo desculpas, coitado hahaha Eu estava sentada e escutei o baque meio de longe! Um outro japonês careca, até escondeu a cara atrás do livro pra rir também haha.

Nádia e Silvia estavam em pé e se seguraram para não rir na cara dele, mas logo quando descemos em Funabashi tivemos uma crise de risos hahaha Aquelas situações que só as viagens nos proporcionam!

Chegamos na estação JR Narita, pegamos um taxi e finalmente chegamos no *Tobu Narita Hotel ás 23h50! QUE DIA!

Graças a Deus no final deu tudo certo! E descansamos em uma cama deliciosamente confortável. Como a Silvia disse, “Por que não ficamos em um hotel assim antes?!”

Recomendo à todos!

Continue lendo nossos diários de viagem no Japão, já estamos na reta final!

Erika Silva
Erika Silva

Metida a viajante, de boa e tranquila por fora, ansiosa e planejadora por dentro. É designer gráfico, na casa dos trinta anos, amante de filmes, séries, desenhos, música, chocolate com coco, livros e sobremesas.

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: